Data marcada pela luta da categoria é também de mobilização pela garantia de direitos. Trabalhadores devem fazer indicativo de greve no próximo dia 31

Moeda Nacional. Arrecadação da Receita Federal é a mais baixa desde 2009. Foto: Marcello Casal Jr. Agência Brasil

Por: Patrícia Cunha 28 de Agosto de 2020

Uma data que foi marcada por uma luta por reajuste salarial e melhores condições de trabalho há quase 70 anos, não poderia ser lembrada de outra forma.

 O dia do bancário, 28 de agosto, é dia de luta e de mobilização da categoria para que seus direitos sejam resguardados. Em ato realizado pela categoria ontem em São Luís, ficou definido adiar o indicativo de greve, que seria hoje, 28, para o dia 31 de agosto (segunda-feira), aguardando a definição de outras bases. O movimento grevista é “devido à ofensiva sem precedentes dos banqueiros e do governo aos direitos da categoria”.

O indicativo está sendo discutido pela categoria em assembleias virtuais sobre a Campanha Salarial. Nesta sexta-feira, o  Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários do Maranhão (Seeb), mais conhecido como Sindicato dos Bancários,  realizará nova assembleia geral virtual para avaliar as novas propostas da Fenaban e dos bancos públicos. 

A expectativa é que as propostas atendam às reivindicações da categoria. Do contrário, a greve da categoria deve ser organizada. Os bancários maranhenses rejeitaram as propostas rebaixadas da Fenaban e dos bancos públicos, pois segundo a categoria, elas visam retirar direitos da categoria em plena pandemia. 95% dos bancários maranhenses são a favor do indicativo de greve. “Nas últimas rodadas de negociação, a Fenaban e os bancos públicos propuseram acabar com a 13ª cesta-alimentação, reduzir as gratificações de função, diminuir a PLR em até 48%, cobrar por dependente no plano de saúde da Caixa, além de facilitar a perda da função e a redução de salários no BB. 

Há indícios, ainda, da fusão de carteiras nos escritórios digitais do Banco do Brasil, o que também é prejudicial para o funcionalismo”, disse o presidente do SEEB-MA, Eloy Natan. Com a fusão de carteiras, pode haver retirada de funções dos bancários o que representa até 2/3 da renda do trabalhador.

Com a situação pandêmica, a categoria planeja, caso haja greve, como será essa articulação do movimento, mas é provável que as atividades sejam paralisadas, mesmo quem está em trabalho remoto. “A ideia é fazer a desconexão, parar tudo, inclusive quem está em tele trabalho. A gente espera que as propostas se revertam positivamente, mas caso isso não aconteça, aguardamos o posicionamento da base nacional e estamos preparados para a greve”, disse Eloy.

Proposta

Segundo a categoria, apesar do lucro de mais R$ 28 bilhões obtido no primeiro semestre deste ano e do incentivo superior a R$ 1 trilhão “doado” pelo Governo Bolsonaro ao setor, os bancos propuseram reajuste zero em 2020, com pagamento de um abono no valor de R$ 1.656,22. Já para 2021, houve uma proposta de reajuste parcelado, equivalente a 70% do INPC em setembro e 30% em dezembro – sem abono.

Para o SEEB-MA, esse seria o momento ideal para deflagrar a greve nacional da categoria, visto nenhum direito previsto na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e nos Acordos Coletivos (ACTs) específicos de cada banco ter validade a partir de 1º de setembro.

Live solidária

Nem só de luta vive a categoria. Por isso, hoje também está prevista a Live Solidária Samba Choro em comemoração ao Dia do Bancário, no sábado, 29, às 20h, com transmissão pelas redes sociais do Sindicato.

O sarau musical, com produção da RicoChoro Produções Culturais, terá apresentação de Ricarte Almeida Santos. 

O anfitrião da noite será o Quarteto Crivador, formado por Rui Mário (sanfona), Marquinho Carcará (percuteria), Luiz Jr. Maranhão (violão sete cordas) e Robertinho Chinês (bandolim e cavaquinho). O grupo ganha o reforço dos percussionistas Marcos Paulo e Vinicius Filho, para abrilhantar ainda mais a festa. Os convidados do Crivador serão os cantores Serrinha e Chico Chinês (do Samba de Iaiá) e Tom Cléber.

A noite terá ainda sorteio de vários brindes para os bancários sindicalizados. 

Durante a live, os espectadores também poderão fazer doações para o Instituto Antonio Brunno, entidade que realiza um trabalho de a pessoas com câncer e seus familiares